Revisitando

agosto 12, 2013

Seis anos depois, sobre prioridades: 

 

Um menor é espancado até a morte na febem.

E eu penso em amor.

Perco a esperança em sentenças curtas.

Resumo-me à vontade de me afogar num abraço.

Desfaleço.

Falência múltipla, regurgito.

Regurgito etapa por etapa do meu ser falido.

Penso em amor e me sinto complexo de castração.

Paradoxo o destino do meu querer, eterno prolongamento de ínfimo instante.

 

Penso jazz, vivo blues.

 

Recaio.

Um desmaio me embaça a vista num escapar sutil de lágrimas.

 

Penso em amor.

 

A guerra estoura no Haiti.

Um furacão devasta os eua.

 

Penso em amor.

 

Uma borboleta cai morta no chão.

Acendo um cigarro numa miríade de atos falhos.

Leio sempre as mesmas páginas do livro.